Crítica: Chocante

Os bons velhos tempos que não voltam mais... Ou será que voltam? Em "Chocante" nós embarcamos em uma viagem de volta aos anos 90, com direito à muitas referências que só quem viveu nessa época tão saudosa vai entender! Mas mesmo quem não viveu vai curtir essa nova comédia brasileira!


O filme conta a história do conjunto "Chocante", que fez o público ir à loucura com o hit "Choque de Amor", conquistando vários fãs em meados dos anos 90! Isso até serem esquecidos pela mídia alguns meses depois... Passaram-se 20 anos e um triste fato reúne os integrantes que não se viam desde então: Tarcísio, um deles, faleceu em um trágico, embora cômico, acidente.

Os bons e velhos tempos
Com esse reencontro, uma velha chama que os amigos pensaram estar extinta brilha novamente, e assim eles cogitam a possibilidade de trazer de volta o conjunto que fez tanto sucesso duas décadas atrás.

Antes de começar a dar minha opinião, devo dizer que filmes com esse tema, de lembranças de uma época que não volta mais, sempre mexem muito comigo... Dois exemplos: A cena de Os Muppets (2011) quando Kermit olha para os quadros na parede com cenas de quando ele e seus amigos estavam no auge da fama; Em Carros (2006), quando em um flashback vemos a cidade Radiator Springs em todo o seu esplendor, antes de ser abandonada em nome do "avanço".

"Chocante" é um filme que nos faz rir é chorar, pois embora seja uma comédia, é muito engraçada por sinal, não foge da realidade, que muitas vezes tritura nossos sonhos, como diz a canção de Cartola. Com a situação difícil pela qual nosso país está passando, fica bem fácil de se identificar com os protagonistas e a luta deles em continuar seguindo em frente. 

Nada do que foi será de novo do jeito que já foi um dia...
O elenco nos faz chorar de rir em algumas cenas, todos eles estão ótimos, mas vale destacar a atuação de dois: Marcus Majella, que recentemente fez o público rir e se emocionar com "Um Tio Quase Perfeito" está ótimo como Clay, e Lúcio Mauro Filho como Tim também está sensacional. Tony Ramos faz uma participação mais que especial como o empresário Lessa, uma figura!

Várias referências dos anos 80/90 são citadas no filme... Grupos, programas, quadros, muitas lembranças de uma época são revisitadas nesse longa e esse resgate por si só já merece uma atenção especial. Cenários e figurinos foram recriados de forma tão fiel que parecem ter vindo direto de uma máquina do tempo! Há quem possa achar as brincadeiras com as referências um pouco demais, mas eu particularmente adorei e achei na medida certa!

É isso aí! Não deixe de conferir “Chocante” nos cinemas! O filme estreia amanhã, 05 de outubro, nos cinemas de todo o Brasil e promete eletrizar muita gente nostálgica com esse “Choque de Amor”, e aqui você confere o clipe oficial dessa canção:

Crítica: Chocante Crítica: Chocante Reviewed by Tom Dutra on 14:23 Rating: 5

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.