Cinema: O Filho de Joseph

Um jovem rapaz em crise, que a vida inteira quis saber quem é seu pai, mas, que nunca teve a resposta. Uma mãe tentando poupar seu filho do sofrimento de maneiras questionáveis. Um homem que obteve sucesso na vida, mas, arrogante e pretensioso, enxerga todos à sua volta como objetos descartáveis. O irmão desse homem, que é seu oposto, tanto na questão do sucesso quanto no caráter. São essas pessoas que você conhecerá mais de perto ao assistir O Filho de Joseph (Le Fils de Joseph, França e Bélgica - 2016)!



Vincent é um adolescente de 15 anos que apesar de ter sido criado por sua mãe Marie com todo o amor que ela podia oferecer, vive terrivelmente angustiado por que ela sempre se recusou a revelar quem é o pai do garoto. Quando ele finalmente descobre quem é, não gosta nada do que vê. Seu pai é Oscar Pormenor, um famoso editor parisiense egoísta e mau caráter. Como uma forma de tentar se livrar do sofrimento, Vincent bola um plano para se vingar do pai, mas é aí que surge Joseph, e a história toma um rumo bem diferente do que o rapaz esperava.

Dirigido por Eugène Green (La Sapienza - 2014 - Vencedor do Prêmio de Melhor Filme no Festival de Sevilha), O Filho de Joseph é um filme principalmente sobre relacionamentos familiares e as complicações que podem surgir deles, assim como soluções que surgem de onde menos se espera. O diretor dividiu o filme em cinco partes e cada uma delas tem como referência uma passagem bíblica. Não só a divisão criada por Green tem inspiração na Bíblia, mas, vários diálogos e cenas tem referências dela, seja direta ou indiretamente. Uma característica bem marcante desse filme é a técnica da câmera subjetiva, usada quase o tempo todo, o que faz com que o público possa se sentir no lugar dos personagens em vários momentos da trama.



O elenco conta com Victor Ezenfis (Vive la colo! - 2012), Natacha Régnier (A Espuma dos Dias - 2013), Fabrizio Rongione (La Sapienza - 2014), Mathieu Amalric (O Escafandro e a Borboleta - 2007) e Maria de Medeiros (Fim de Semana À Beira-Mar - 2011). Sobre a escolha do elenco, o diretor diz:

"Os três principais papéis adultos são interpretados por atores que conheço bem e com quem já trabalhei: Natacha Régnier em "Le pont des Arts", Fabrizio Rongione em "La Sapienza" e Mathieu Amalric em "Les Signes". Muitas vezes vi Maria de Medeiros em filmes e em peças, trabalhando em francês e português, e foi um prazer trabalhar com ela pela primeira vez. Eu tive experiências com a maioria dos outros atores, especialmente quando eu trabalhava no teatro. Foi uma grande alegria trabalhar com todos esses atores e com a equipe técnica também."
Entrevista com Eugène Green por Hugues Perrot




Bom, pessoal, recomendo demais esse filme! Sou suspeito, pois cada vez mais gosto dos filmes franceses, por sua sensibilidade, suas histórias envolventes e tantas outras razões! No caso de O Filho de Joseph, temos um drama familiar contado de uma maneira leve, poética, inclusive com alguns trechos bem divertidos que rendem boas risadas! O final me surpreendeu! Calma, não vou dar spoilers não! Só vou dizer que é daquele tipo que faz com que você fique pensando "mas será que aconteceu isso? Ou acontecerá aquilo?", sabe como é? Se sabe, espero que goste disso tanto quanto como eu! Esse leque de possibilidades de interpretação! E se não sabe, vá assistir o filme e veja do que estou falando, não vai se arrepender!

O Filho de Joseph estreia hoje, 16 de março, nos cinemas! Confira o trailer:




Cinema: O Filho de Joseph Cinema: O Filho de Joseph Reviewed by Tom Dutra on 02:23 Rating: 5

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.